sábado, 24 de setembro de 2011

Greve dos Correios de 2011

Podemos ter uma ideia de quanto tempo durará a atual greve dos Correios se tivermos em mente as anteriores. Quanto tempo elas duraram?
 
A de 2010 durou cerca de 9 dias. É que uma greve dos Correios não começa ou não acaba ao mesmo tempo em todas as Unidades da Federação. Um estado pode pôr fim à greve enquanto os demais continuam com ela. É necessário que pelo menos 18 dos 35 sindicatos existentes no País optem pela volta à normalidade para que uma greve da categoria chegue ao fim nacionalmente.

Já a greve de 2009 durou cerca de 3 dias no estado do Rio de Janeiro. No Nordeste, por exemplo, eles não aderiram.

Mas, se a atual greve já passa dos 10 dias, significa que ela está sendo mais prolongada que a média. Nesse caso, deveríamos pensar que ela está perto do fim? Talvez a resposta, infelizmente, seja "não" se lembrarmos que a categoria decidiu, nesta última sexta-feria, 23 de setembro, continuar com a paralisação.

O Governo afirmou que não negocia enquanto a categoria não retomar as atividades, o que, convenhamos, costuma ser um dos primeiros pronunciamentos de um governo em situações de greve ou semelhantes. Até aí, nenhuma novidade.

Por sua vez, quando uma categoria opta pela greve, ela normalmente pede mais do que espera receber, porque sempre se espera por uma negociação em que ambos os lados terão de ceder. Na greve dos Correios de 2010 foi assim.

Mas, afinal, o que esta greve tem de diferente?

Os Correios ainda reivindicam concessões feitas pelo Governo durante as negociações da greve de 2010, mas que não foram cumpridas como os Correios esperavam. Como vemos, a atual greve tem raízes mais profundas que as anteriores, o que ajuda a entender por que ela está durando mais que a média.

A Imprensa já publicou que os funcionários em greve não receberão pelos dias parados. Não creio que a paralisação acabe enquanto não venha, pelo menos, a notícia de que eles receberão pelos dias parados, além do atendimento de ao menos parte das reivindicações, é claro.

A opinião pública, pouco expressiva até o momento, contribuiria bastante para um desfecho desta situação. Se ela ficasse claramente a favor dos Correios, seria de esperar que o Governo cedesse mais facilmente. Do mesmo modo, se a opinião pública ficasse do lado do Governo, seria de esperar que os Correios abirssem mão mais facilmente de certas reivindicações.

O Governo literalmente vive de votos, e depende muito mais da opinião pública que os Correios.

Seja como for, os serviços dos Correios fazem mais falta do que muitos imaginam. Os prejuízos com esta greve já passam de um bilhão; porque não só as pessoas comuns dependem da troca de correspondências e produtos, mas também as empresas.

O serviço dos Correios está fazendo falta, e olha que nem todos os funcionários aderiram à greve. Algumas fontes dizem 30%, outras 60% de adesão. Quem rastreia suas correspondências pelo site dos Correios sabe que as correspondências (ou melhor, os objetos) passam até com rapidez por certos centros de triagem (os CTEs) e de repente param ou quase param em alguns centros de distribuição (os CDDs). Parece que no interior dos estados a greve está realmente mais "visível", o que, ao menos para alguns, não é surpresa. Porque é no interior que os Correios costumam contar com menos funcionários para determinadas tarefas, ou é no interior que o "aperto" dos funcionários costuma ser maior. Por isso, faz sentido ver que as correspondências fluem até com a mesma rapidez de antes pelos CTEs de Benfica (cidade do Rio de Janeiro) e de Vila Maria (cidade de São Paulo), mas nem de longe com a mesma celeridade pelos CDDs de cidades menores, nesses mesmos estados.

Também parece mais frequente a ocorrência de "mal encaminhados", isto é, correspondências enviadas para determinado CDD por equívoco, fazendo com que elas levem ainda mais tempo para chegar aos destinatários. Obviamente, quanto menor o número de funcionários, maior a possibilidade de ocorrência de "mal encaminhados". Salvo ignorância minha, nunca um sedex havia levado 7 dias úteis para chegar ao destino... Mas vá lá; o importante é que chegou, e uma situação de greve é sempre atípica, ainda que a dos Correios tenha se tornado recorrente nestes últimos anos... talvez entre até para o calendário nacional, numa data fixa. Mas basta; discutir este assunto é falar de política e, não, de administração de empresas.

O que diminuiu foi o número de funcionários; não a qualidade deles. O Correio brasileiro, lembremos, é considerado o melhor do mundo; além de ser aquele que cobra uma das menores taxas se consideramos as distâncias percorridas. Se você envia uma carta de Lisboa a Moscou, ela passa por vários países; é uma carta internacional. Mas, se você manda uma carta de S. Paulo a Manaus, é uma carta nacional embora ela percorra mais ou menos a mesma distância...

É claro que, falando sobre a greve, me baseio em um número pequeno de casos, além do que leio nos jornais, para chegar a estas conclusões. Tenho uma ideia melhor do que acontece nos estados do Rio e de S. Paulo. A greve, certamente, não é a mesma em cada parte do País.

5 comentários:

@philipsouza disse...

Ninguem aguenta mesmo não, em se tratando de Brasil, podemos esperar, trabalho de mais, remuneração de menos...

boa mesmo Bruno.

abraço

Philip Rangel- Entrando Numa Fria

αmαndα cristinα ツ disse...

Realmente a greve dos Correios vem de tempos passados. Se uma conta em Sedex demora sete dias para chegar, imagine uma normal? E o pior: Aqui não andam nem aceitando mais as correspondências. O que será de nós (mesmo com tanta tecnologia. Pois se pararmos para ver: com os equipamentos atuais só conseguimos "ganhar" coisas virtuais, e não reais)?
Tomara que não dure muito tempo. Estou com medo de que minhas coisas se percam pelo caminho e nunca cheguem realmente ao seu destino.
E as pessoas que ganham promoção? Terei de pagar Sedex para todas? É um absurdo!

Hey, parabéns pelas visitas do blog! Imagino o quanto está feliz! :)


Beijinhos, ❤
www.primeiro-livro.com

RSR disse...

Só sei que eu me dei mal com esta greve. Nada de encomendas chegar.

Francine Galiano Pinto disse...

Eu tenho é tristeza pelos políticos corruptos que colaboraram, direta ou indiretamente, para com a situação dos correios. Tudo que é de responsabilidade do governo sempre dá problema, sempre falta verba. Verba que vai parar no bolso dos políticos e greve que cai em nosso colo... eita vida de brasileiro!
Nós devíamos era entrar em greve de imposto, quero ver se eles não iam nos ouvir!

Mari ♥ disse...

Oi estava visitando alguns blogs e encontrei o seu blog adorei...
Já estou seguindo

http://marifriend.blogspot.com/
@Storieandadvic
Espero sua visitinha, adoraria que você seguisse também.
beijo