domingo, 26 de junho de 2011

Qual é a diferença entre bipolar e borderline?

Entendamos melhor a diferença entre bipolar e borderline. Comecemos falando de instabilidade emocional e, mais adiante, você entenderá por quê.


Instabilidade emocional

No transtorno de personalidade emocionalmente instável, o humor varia dentro de um tempo menor (segundos, minutos, no máximo horas). No transtorno bipolar, o humor varia dentro de um tempo maior (dias, semanas, meses), obedecendo a ciclos.

Quem é emocionalmente  instável (ou seja, quem sofre de instabilidade emocional) tem um humor que se altera devido a fatores externos (o que acontece em volta). Quem é bipolar tem um humor que obedece a fatores internos (que independem do que acontece em volta). Veja:

O instável vai mudando de humor ao longo do dia, segundo as situações que encontra. O bipolar mantém o humor maníaco enquanto durar a fase de mania (uma semana no mínimo); e mantém o humor depressivo enquanto durar a fase depressiva (dois meses no mínimo).

Mesmo aquele bipolar misto que alterna rapidamente momentos de euforia e de depressão não é tão inconstante como quem sofre de transtorno de personalidade emocionalmente instável. A diferença, nesse caso, pode ser pequena; mas existe.

(Mencionando Perugi, poderíamos ver o estado misto como um estado de instabilidade emocional em que euforia e depressão coexistem ou flutuam dentro do mesmo quadro. Ainda assim, mesmo vendo a coisa por esse ângulo, note que ainda estamos falando de estados mistos e, num caso de TAB, haveria outros elementos a levar em conta. Mas basta; neste post estamos buscando diferenças e, não, semelhanças!)

A instabilidade emocional está dividida em dois subtipos; um deles é o borderline, que é o transtorno boderline propriamente dito.


Borderline

Além do humor borderline ser mais curto como explicado acima (porque varia dentro de um tempo menor), há outras diferenças.

A indentidade do borderline é menos definida; ele não sabe exatamente quem é ou o que quer, e isso inclui a sexualidade. Já o bipolar tem uma identidade mais sólida; ele sabe quem é e o que quer.

Falando apenas de sexualidade, ou de identidade sexual, é mais provável encontrar um bissexual entre borderlines que entre bipolares, especialmente se não estamos falando de uma única experiência sexual, mas de várias. (Decidi escrever este parágrafo pensando naquelas bipolares que relataram ao menos pensar ou já ter pensado em outra mulher ou já ter experimentado pelo menos um beijo de outra mulher. À parte isso, não deixemos de ter em mente que a identidade do bipolar já é sólida ou definida enquanto a do borderline, não.)

O borderline divide as pessoas em dois tipos bem restritos. Exemplo: ou uma pessoa  é boa, só tem qualidades, ou ela é má, só tem defeitos. Não há um bom meio-termo. Mas veja; a opinião pode mudar: Se alguém que o borderline considera bom, perfeito, o decepciona fazendo algo real ou apenas imaginado, o borderline irá considerá-lo mau, tendo uma opinião oposta à anterior, sem achar um meio-termo.

Se você já leu romances românticos do século XIX, como Escrava Isaura, sabe o que é ver as pessoas divididas em apenas dois grupos restritos; porque nessas histórias os personagens ou são só qualidades (o mocinho, a mocinha, etc.) ou são só defeitos e maldade (o vilão, etc). Na vida real, como sabemos, as pessoas têm qualidades e defeitos, e nem sempre é fácil dizer quem é bom e quem é mau. Em poucas palavras, ninguém é inteiramente bom; ninguém é inteiramente mau (a não ser para o boderline, é claro!).

Sendo assim, já podemos dizer que a identidade e o humor do bipolar são diferentes dos do borderline; e que o borderline tem aquele pensamento extremista que divide as pessoas em dois tipos bem restritos.

Sobre depressão, algo que afeta tanto o borderline como o bipolar, eu diria que mesmo a depressão do borderline, intermitente, é diferente daquela do bipolar, contínua.

Há outras diferenças, certamente, entre ambos os transtornos.

(Sobre qual relação pode haver entre transtorno bipolar e transtorno borderline, se eles são a mesma doença, se eles podem acontecer ao mesmo tempo, etc., tudo isso ainda tem pelo menos um pé no campo das discussões e, por ora, não é possível fazer muitas afirmações. Seja como for, quando essas discussões finalmente tiverem acabado daqui a 50 ou 100 anos, publico um novo post. Por enquanto, fiquemos com este aqui.)


Bipolar e borderline

(Os fragamentos abaixo foram retirados do post 12 de junho bipolar, que já tocava no assunto. Vale a pena reler.)

Imagine um bipolar tipo I, que alterna fases de mania e de depressão. A mania durará pelo menos uma semana. A depressão, pelo menos dois meses. Haverá periodos de vida normal. Isso quer dizer que o humor varia dentro de semanas ou meses. Não é a variação de humor que vemos num borderline por exemplo.

Num borderline, o humor varia dentro de um tempo muito menor. Segundos, minutos, quando muito horas. Não há fases longas, por assim dizer. É claro que há outras boas diferenças entre transtorno bipolar e transtorno borderline; e é claro que, dependendo do bipolar, as diferenças entre ambos os transtornos podem ser bem pequenas. Mas não nos alonguemos; não nos alonguemos muito.

O que eu ainda gostaria de dizer é isto: Tente se lembrar de histórias de amor interrompidas, vividas por bipolares. Obviamente, os bipolares não estão isentos de serem traídos, humilhados, maltratados, etc., como qualquer pessoa normal. Mas veja que muitas bipolares ainda pensam em seus ex-namorados e desejam reatar com eles um dia, ainda que agora vejam neles defeitos que antes elas não viam. Uma borderline veria o ex que a traiu ou a humilhou como um verdadeiro demônio, que só tem defeitos; e se ela antes o queria, agora já não o quer.

Instabilidade emocional (mudar de humor a cada segundo, a cada minuto), não saber direito o que quer (isso agora é bom, isso agora é ruim), achar alguém perfeito e depois a pior das pessoas, sem haver meio-termo, sem haver transição, essas são características que dizem respeito essencialmente ao borderline, ainda que possam nos lembrar bastante um bipolar. Veja: Se você é uma bipolar e ainda ama seu ex que a traiu ou a abandonou, isso mostra que, apesar das suas variações de humor, você ainda sabe o quer e percebe que, se ele não era perfeito, pelo menos não era tão mau assim... Dá pro gasto... Uma borderline agiria de outro modo.


Conclusão

Enfim, diferentemente do que muitos pensam, instabilidade emocional não é TAB, mas outro transtorno, que pode ser borderline, um subtipo de instabilidade emocional.


Leia mais
Transtorno Bipolar
Ela tem dupla personalidade, é bipolar
Sou borderline e bipolar? Me explica isso

3 comentários:

Hamires Cristine disse...

me pus a pensar agora que talvez a diferença entre borderline e bipolar seja só uma:

Um desenvolveu a personalidade sadiamente e o outro não, como se fosse uma predisposição que, se nada interefere no seu desenvolvimento de forma intrusiva na primeira infância (que é onde está a causa do borderline, que não tem um self definido), você pode ou não manifestar a bipolaridade, a depender dos fatores estressores do ambiente, em especial na infância e adolescência, ou já lá pelos 40 ou 50 anos, quando toda a vivência já está acumulada o suficiente para interferir na saúde mental de quem tem uma tendência 'biológica' para determinado problema. Já aquele que não teve o apoio adequado do ambiente na fase em que deveria desenvolver um self sadio, se tem tal predisposição, é borderline.

Pensei nisso baseada no fato de que, embora o borderline não tenha um self sadio, ele não é o unico que não tem e nem por isso reage da mesma forma que cada um dos outros tipos de patologias que se baseiam na precariariedade do self, e o borderline se parece muuuuito com o bipolar, sendo confundido muito, e aparecendo os dois coexistentes em diagnosticos muuuito frequentemente.

Eu, por exemplo, já tive os dois diagnósticos, e há quem diga que não dá pra negar nem um nem o outro no meu caso, pois é comum eu ficar hiperativa, cheia de energia, falando alto, etc, mas é mais raro eu ficar realmente feliz. Hoje, não apresento mais tantos indícios de ter TAB. Enfim, meu diagnóstico ainda é um mistério para mim. Rs.

Seria necessário, para resolver esta questão entre bipolaridade e trantorno de personalidade borderline, um estudo que envolvesse uma grande quantidade de bipolarese borderline, e também os que têm os dois diagnósticos, com relatórios precisos, durante um certo tempo. Tomara que alguém faça isto um dia! Ajudaria muuuita gente, pois esta confusão no diagnóstico atrasa um tratamento adequado.

Grande abraço! Particularmente - por razões óbvias, rs - adorei a abordagem!

RSR disse...

Hj estava falando do seu blog. Minha amiga me perguntou o pq do nome. Não sei o pq do nome Mastigando estrêlas, mas eu tenho uma teoria. No seu blog vc mastiga as informações para nós e a torna mais compreenssível, mas digerível. Informações são estrêlas em nosas vidas. Talvez seja isto, talvez não. Mas tenho uma pergunta. Qual a sua formação? Vc tem que ser da área de saúde, vc disse não ser psiquiatra, mas pode dizer sua formação, além de amante da poesia?

Preta disse...

Faço minha as palavras da RSR.
Gosto muito de vir até aqui, é como foi dito acima, vc torna as informações compreenssíveis.
Por vezes me perguntei se tua foto era atual...Pois fala de uma forma intelectual e não meras palavras...Venho agradecer-te pelas palavras que deixas aqui, palavras essas que por vezes acarinham nosso coração.
Sei um bom pouco sobre bipolaridade, pois desde que descobri que eu e minha filhota somos...passei a me inteirar de absolutamente tudo sobre o assunto...mas a diferença de bipolar para boderline eu não sabia, e informação acho que nunca é demais...
Parabéns, seu Blog torna-se cada dia mais interessante.
Bjinhosionestsi