sexta-feira, 3 de junho de 2011

Bipolares não-diagnosticados

Talvez você, leitor bipolar que visita este blog nas horas vagas, se pergunte: Como alguém pode ser bipolar se não recebeu o diagnóstico de TAB? Nesse caso, eu diria: Tente se lembrar de quando surgiram seus primeiros sintomas e de quando você recebeu o diagnóstico. Entre um momento e outro, quanto tempo se passou? 2 anos? 5? 10? Nesse meio-tempo, você foi um bipolar não-diagnosticado... Creia em mim!

Nesse meio-tempo, da mesma forma que os os dabéticos não-diagnosticados consomem açúcar, você provavelmente consumiu álcool, café e tudo o mais que não podia. Afinal, você não sabia de sua condição clínica, talvez nem imaginasse...

Nesse meio-tempo, as pessoas notavam as suas variações de humor e achavam tudo normal, ou encontravam uma justificativa. Afinal, todo o mundo tem seus altos e baixos. Mas, se o seu gato de estimação morre e você fica deprimido dois meses, isso é uma frescura; logo passa. E, se não passa, as pessoas se afastam e já não dizem que é frescura, porque estão ausentes...

Se você está eufórico, que mal há? Os vendedores adoram, você está gastando mais. E as pessoas desconhecidas que te veem eufórico nunca te viram deprimido para comparar. Você está contente; irradia felicidade. O que há de mal na felicidade? Quem te critica, está com inveja!

Mas, durante uma depressão, você é impelido a ir ao médico e recebe o diagnóstico de depressão unipolar. O que há de errado? Nada! Afinal, você estava se sentindo para baixo e não esperava outro diagnóstico. Ninguém esperava. É só uma depressão e, se não fosse a incapacidade para o trabalho, você não teria ido ao médico. Exageros do psicólogo da empresa... Para que remédios?

Você estava numa fase de mania e bebeu demais? Ah, então sua animação se devia ao álcool, está explicado! Todo o mundo passa da conta de vez em quando e faz coisas que, sóbrio, nunca faria. Quem nunca bebeu demais? Bebedeira não é doença!

Até que um dia acontece alguma coisa grave; algo está realmente errado. Tão errado que agora todos conseguem notar... Os sintomas mais leves não foram sequer notados; os mais graves foram ignorados. Um longo tempo se passou... Você, nesse período, talvez tenha magoado a alguém que não merecia ser magoado, terminado um casamento, desfeito uma sociedade, torrado todo o seu dinheiro... Talvez tenha arriscado a vida durante uma fase de mania ou atentado contra a própria existência durante uma fase depressiva. Você podia ter morrido, alguns bipolares realmente morrem antes de receber o diagnóstico correto...

Mas você está vivo? Bom. Você recebeu o diagnóstico correto e está se tratando? Melhor ainda. Significa que você sobreviveu à fase do não-diagnóstico, que, em média, leva dez anos.

Nem todos têm essa "sorte".


Moral da história? Todo bipolar diagnosticado, um dia, já foi um bipolar não-diagnosticado. Mas nem todo bipolar não-diagnosticado será, algum dia, diagnosticado...


Leia mais
Transtorno Bipolar
Diário bipolar
Revelar a bipolaridade ou não revelar. Eis a questão
Marta - Romance


________
Gostou deste post? Publique-o em seu blog e ajude a incentivar a busca por diagnósticos. É grátis; não custa nada!

4 comentários:

RSR disse...

Ai que triste, todos merecem um diagnóstico. Lendo este post, lembrei-me do tenpo que fui 1º diagnosticada com anemia, depois stress, depois depressão unipolar por muito tempo. Quanto tempo perdi da minha vida. Quanto sofrimento por dianósticos errados. É bom nem lembrar...

Mensagens abencoadoras!!! disse...

Oi Bruno, isto e realmente muito sério n ceré?
Qto sofrimento desnecessario!
Eu penso que sofri quase a vida toda por conta disto....só que depois qdo deram o diagnostico certo, era eu que nao o aceitava....barra...barra...
Vamos todos seguir em frente, parar jamais!!!
Bom final de semana meu amigo
Marly

MUITO PRAZER SIMPLISMENTE EU. disse...

Olá Breno! que bom que gostou do meu blog, o seu também é super interessante sempre passarei por aqui para dar uma espiadinha no que postou.
grande abraço fica na paz.

Preta disse...

Sabe Breno
Acho que saio um pouco do normal...
Eu tive meu primeiro diagnóstico em Fevereiro de 2009, foi o único psiquiatra que fui e de cara me diagnosticou corretamente...entendo que minhas características eram bastante óbvias, mas até então não tinha a mínima noção do que era Bipolaridade...
Estava no fundo do poço quando procurei ajuda, me dianosticou Bipolar e no mês seguinte também TDA.
E o incrivel é que aceitei tudo, comecei meu tratamento e nunca mais parei um dia sequer, não que eu goste de tomar medicações mas minha vida mudou 200%...eu vivia muiiiiito mal, não sabia o que era dormir até o dia em que comecei com as medicações...hoje sinto sono, sensação que para muitos é normal, mas para mim é maravilhosa, não sabia o que era isso.
No primeiro mês chegava a ficar sentada na cama a espera daquela sensação maravilhosa "SONO" e dormia sentada mesmo meu Deus como é bom...
Sem contar que não tenho mais aquela história de falar e me arrepender 2 minutos depois, não tenho mais aquela ansiedade que me destruia por dentro, era horrível...
Por isso digo ou sou diferente ou levei sorte com o médico que escolhi, e a não desistência das medicações acho que pela qualidade de vida que até então nunca tinha tido.
Sinto pelas pessoas que não aceitam e resistem ao tratamento...eu hoje me sinto viva, apesar de ter tido uma recaída em Janeiro que permaneceu até um mês atras, mas tudo se resolveu com a inclusão de mais dois medicamentos, mas não me importa só quero é viver bem.
Muito legal sua matéria, parabéns!
Abraços
AAAA e queria pedir-te desculpas, pois apaguei aquele relato no meu blog que vc comentou, mas fiquei com medo que meu pai descobrisse o blog, pois mostrei para ele o Bipolar Brasil, e se ele por uma coincidência entrasse no meu blog, reconheceria na hora e talves se ofendesse pelo que falei dele e outra, meu blog é anônimo e não quero que deixe de ser, pois ali coloco SEM MEDIR PALAVRAS tudo o que sinto é um cantinho onde coloco tudo o que tenho vontade, se é que me entende...sejas sempre bem vindo ao meu blog ok?
Abraços Breno.