sexta-feira, 20 de maio de 2011

O futuro da palavra bipolar

Estou vendo que a palavra bipolar vai sendo cada vez mais usada... Mas que sentido ela está ganhando na boca das pessoas leigas? Vamos dar uma olhada...


Amigo Bipolar

Na marchinha Amigo Bipolar, finalista do concurso de marchinhas do programa Fantástico da Rede Globo, a palavra bipolar aparece com um sentido bem peculiar... Não é aquele sentido que os médicos conhecem, nem outro sentido correto ou admirável. A palavra foi usada para fazer uma brincadeira. E parece que nem todo o mundo gostou da piada...

A letra da marchinha tem uma conotação sexual e fala de uma pessoa que ora é máscula, ora é afeminada. A marchinha, obviamente, substitui o termo adequado por outro, que é inapropriado. Mas por que o compositor agiu assim? Resposta:

Para se referir a determinada ideia de maneira indireta, o que é um recurso até comum. Mas por que o compositor usou justamente a palavra bipolar para esse fim? Talvez porque o bi de bipolar tenha lhe lembrado o bi de outra palavra... Ainda assim, o que uma coisa tem a ver com a outra? Nada, devo dizer. Absolutamente nada...

Sendo assim, por que diabos as pessoas acharam graça na marchinha a ponto de ela ser uma das finalistas do concurso? Resposta:

Tudo depende de termos uma noção sobre o TAB e uma mentalidade crítica. Veja: Se uma pessoa não sabe o que é TAB e não tem mentalidade crítica para perguntar o que o TAB tem a ver com a letra da marchinha, ela entenderá que bipolar é a palavra que se usa quando queremos nos referir ao comportamento descrito na marchinha. É como aprender uma palavra nova, uma gíria ou coisa semelhante.

Mas agora imaginemos uma pessoa que saiba o que é TAB e que tenha mentalidade crítica para perguntar o que o TAB tem a ver com a letra da marchinha. Essa pessoa chegará a conclusão de que a letra não faz sentido, e porque não faz sentido, não pode ter graça. Ninguém acha graça numa coisa que não entende ou que lhe parece ilógica.

Ainda assim, alguém pode ter uma ideia do que é TAB, mas, ao mesmo tempo, não se perguntar o que uma coisa tem a ver com a outra, e por isso achar graça na marchinha. Nesse caso, a pessoa tem um mínimo de conhecimento (tem uma noção sobre o TAB), mas não tem mentalidade crítica para criticar, questionar a relação entre uma coisa e outra, e por isso aceita a letra e acha graça nela...

Agora, deveríamos nos perguntar: Quantas pessoas sabem o que é TAB ou têm ao menos uma boa noção? e quantas pessoas tem mentalidade crítica para se perguntar o que uma coisa tem a ver com a outra?


Malhação

A Raquel de Malhação é bipolar. Sendo assim, muitas pessoas que assistem a Malhação associarão a palavra bipolar ao comportamento da Raquel, comporte-se ela como uma bipolar ou não.

A pergunta que eu gosto de fazer a respeito da Raquel é esta: Ela realmente se comporta como uma bipolar?

Obviamente, na novela, ela foi diagnosticada como bipolar e é tratada como tal (especialmente se estamos falando do preconceito e da desinformação por parte de terceiros). Mas a pergunta ainda é: Ela de fato se comporta como bipolar?

Como ela está sumida da trama, no momento é esperar que ela reapareça para que possamos reunir mais elementos. E, ainda que tenhamos elementos suficientes para dizer que ela é bipolar, deveríamos nos perguntar se há verossimilhança, ou seja, se ela parece real, possível, cotidiana, típica, etc., como bipolar...

Outra coisa a ser dita sobre a Raquel, é que ela é uma adolescente. Fazer distinção entre TAB adulto e TAB-IA seria muito oportuno. Nesse caso, se entendemos que ela realmente se comporta como uma verdadeira bipolar, também poderíamos nos perguntar se o seu comportamento é típico para a idade.

Me parece que Malhação está falando sobre TAB adulto através de uma adolescente, o que não deixa de ser compreensível, porque se trata de uma novela para pessoas dessa faixa etária; e falar de TAB-IA quando a maioria das pessoas mal sabe o que é TAB adulto seria um desafio ainda maior...


Conclusão

Segundo o uso que a mídia faça da palavra bipolar, ela entrará para a linguagem popular com este ou aquele sentido. Isso acontece porque poucas pessoas procuram se informar por conta própria, de maneira ativa, e geralmente recebem informação de maneira passiva, venha a informação como vier através da mídia...

Veja: Mania e depressão são termos médicos que ganharam outros sentidos quando passaram para o vocabulário popular. Deprimido por exemplo, em linguagem popular, é sinônimo de triste. Não é uma doença, isto é, não requer tratamento e, se a depressão persiste, passa a ser vista como uma frescura. Daí podemos entender por que, às vezes, é tão difícil convencer alguém a procurar ajuda médica.

De modo geral, ainda falando sobre o sentido popular de alguns vocábulos, psiquiatra passou para a linguagem popular como médico de louco e eu nunca foi um pronome, mas uma palavra que sempre significou não sou louco...

Mas o que será da palavra bipolar daqui a 10 ou 15 anos? Bem... não tenho ouvido tocar nas rádios a marchinha Amigo Bipolar... Talvez isso já nos dê uma ideia...

Mas e você, bipolar de verdade que me visita neste blog e acabou de ler este post, o que você acha disto tudo?


Leia mais
Transtorno Bipolar
Transtorno Bipolar e Imprensa
Tá parecendo bipolar que nem a Raquel. Uma hora...

Marta - Romance

8 comentários:

RSR disse...

Vc tocou em um tema que me incomoda demais. A má informação das pessoas sobre bipolaridade. Qualquer bobeira q a mídia coloca passa a ser uma verdade e as pessoas não vão atrás de informação. Trabalho em uma escola q atende crinaças especiais, todas com curso superior e nem assim lá tem alguém que saiba pelo menos entender oq é depressão e bipolaridade. A não ser quem já se tratou de depressão e uma outra colega q tbm é bipolar. Mas não canso de tentar informar. Adoro seu blog. Bj

Jéssica. disse...

Concordo contigo. Está se tornando uma palavra comum, usada por qualquer um para designar qualquer oscilação de humor não tão ascentuada. É estranho entrar no orkut e vê inúmeras comunidades com o título: Eu sou bipolar. E muitas pessoas mal sabem o significado disso. Eu mesma ganhei um selo de: Esse blog é bipolar. Apesar da palavra ter um significado diferente temos que avaliar qual o sentido que o interlocutor quis nos transmitir. E as coisas não deveriam ser assim, mas são.

RSR disse...

Realmente sou real e não como Raquel de malhação ou o Amigo bipolar. Quando for ao meu psiquiatra novamente falarei com ele sobre oq vc disse sobre alguns sintomas leves de variação do humor.
E sim, vc acertou. As pesoas que convivem comigo não percebem q sou bipolar. Melhor assim né? Bjks

Ana disse...

Eu era muito parecida com a Raquel de malhação, talvez eles estejam pegando o caso pior de bipolaridade que é o tipo misto, nada contra os outros tipo mas com o misto nada é previsivel, tenho medo quando acordo pois não sei se vou estar calma ou nervosa.
Quanto as pessoas saberem da minha bipolaridae como a amiga RSR niguém nem desconfia detalhe tenho duas amigas que fazem psicologia. Fiz 2 anos e esse ano eu tranquei exclusivamente para conseguir me controlar por isso me acho muito parecida com a Raquel de Malhação, apesar de só ter assistindo um vídeo no you tube. Nem mesmo meus professores desconfiavam.
Eu não sei a diferença entre bipolar adolescente e adulto, mas sou bipolar desdos 16 anos e vou fazer 35.
Doi na gente essas coisas de tv por que a gente vive com a doença seja como eu ou seja com um parente próximo.
Acho que é tudo.
Beijos

Mari disse...

Olá Breno! Muito obrigada pela visita no meu blog, respondi seu comentário lá ok.
Primeiro quero dizer que gostei sobre o compartilhar particularidades particularmente particulares... ri litros!
Segundo, vc é bipolar?
Terceiro, gostei do tema abordado, mas sabe que às vezes tenho a impressão que toda mudança´no comportamento, humor... já pensam na bipolaridade. Interessante o tema abordado e eu vejo que vc fala com certa frequencia. Por isso perguntei se vc é bipolar.
Voltarei mais vezes.
Bjo!

Preta disse...

Breno
Em primeiro lugar queria agradecer pela sua visita em meu blog...Não foi fácil mas consegui fazer com que meu pai fosse ao Psiquiatra, irá embora amanhã cedo e até agora esta tomando suas medicações direitinho, pra mim foi uma grande conquista...
Em relação a seus artigos...
Sobre a marchinha eu achei uma gozação para conosco bipolar, espero que não pegue...e como li nos comentários acima, as pessoas são completamente leigas sobre o assunto e o que acaba por acontecer, é justamente isso, acreditam em qualquer besteira que ouvem sobre bipolaridade, eu até bem pouco tempo, não escondia ser Bipolar mas perante tudo que tem vindo a tona sobre a Bipolaridade já estou revendo meus conceitos...Pois ou nos consideram fora da casa ou então palhaços...
Em relação a malhação tentei assistir uns quantos capítulos, mas desde que comecei a assistir ela está desaparecida e me sinto ofendida com a maneira que se referem a ela, apesar de não ter tido a oportunidade de ve-la para tirar minhas conclusões...mas o que mais ouvi até agora foi:
Será que não será mais uma daquela maluca?
MALUCA!!!
Como disse não vi como é o comportamento dela, mas tenho dúvidas se relatam o que realmente é a Bipolaridade.
Hoje todo mundo quer ser Bipolar...aaaaa mas se soubessem como é triste...como a gente sofre...o que a gente passa, concerteza ninguém sequer pensaria em ser.
Jóia sua matéria Breno, voltarei outra hora com mais tempo, para visitar seu blog, pois meu pai não me da um segundo hehehe, ainda continua falando sem parar...
Abraços Breno.

Preta disse...

Breno
Tinha feito um comentário aqui no seu Blog, mas perdi no postar, volto outra hora com mais tempo, mas queria deixar meu agradecimento pela sua visita em meu Blog!
Abraços Breno.

Ana SS disse...

Olá, Breno. Procurei pelo seu email, mas não o encontri, por isso peço a sua licença para escrever para vc, aqui, algo que não está (diretamente) ligado à sua postagem.

Gostaria de dizer-lhe que fiquei supresa e lisonjeada ao receber uma correspondência sua. Já havia percebido que o toma da bipolaridade é algo que é do seu enorme interesse, mas não imaginava que seria tanto. Já sabia que vc um dom bonito com as palavras, mas tb não sabia que era tanto.

Estou ansiosa por conhecer Marta. Depois te digo mais.

Por ora, agradeço a sua delicadeza. Muito.

Um abraço!